Vereador Marco Aurélio propõe audiência pública para discutir Educação - Dep. Professor Marco Aurélio

8/15/2013

Vereador Marco Aurélio propõe audiência pública para discutir Educação


Imperatriz – O vereador Marco Aurélio (PCdoB), em pronunciamento quarta-feira (14), na tribuna “Freitas Filho”, da Câmara Municipal de Imperatriz, exibiu resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do Maranhão.
Ele observou que têm sido crescentes as notas do Ideb em relação à educação de Imperatriz. Porém, considerou [em alguns pontos] satisfatórias às projeções do resultado do Ideb. “O índice, que é avaliado a cada dois anos, previa, em 2007, para o quinto ano (4ª série) meta projetada de 3.7; o município conseguiu 3.9. Já em 2009, o índice projetado era 4.1, e Imperatriz conseguiu 4.2”, compara.
Marco Aurélio também analisou que, em 2011, a meta projetada era 4.6, mas o município conseguiu apenas 4.3. Já para esse ano a projeção é de 4.8, mas o índice ainda será avaliado pelo governo federal. “No nono ano (8ª série) o município conseguiu nestes três últimos anos alcançar a meta: 2007 a meta era de 3.3, conseguiu 3.5; em 2009 era 3.5, foi para 3.8, e 2011 a meta era 3.8 e foi para 4.0”, avaliou.
O parlamentar relembrou que nestes últimos meses aconteceram greves e paralisações que acabaram “arranhando” os canais de comunicação e diálogo, contudo, considera necessário discutir a educação de Imperatriz. “Temos que discutir educação com quem faz educação, precisamos discutir essa questão nesse Parlamento que é local de debates”, sugere.
Ele propôs ainda que seja convidado para participar de audiência pública o secretário municipal de Educação, Zesiel Ribeiro; representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (Steei); representantes dos alunos; das escolas públicas e professores-pesquisadores.
Marco Aurélio considera fundamental a participação dos professores-pesquisadores neste debate como forma de colher sugestões para melhoria da educação pública de Imperatriz. “Também queremos convidar a Fapema, órgão de fomento da pesquisa-científica, pois muitos desses recursos disponível da Fapema não são utilizados por falta dessa interlocução (relacionamento)”, diz.

Assessoria de Comunicação


Nenhum comentário:

Postar um comentário